sábado, 17 de novembro de 2007

Meu mundo em uma folha em branco

Pra quem não sabe, eu sou desenhista. Tento ser, melhor dizendo. Ainda tenho muito o que aprender, mas essa é a parte mais gratificante do trabalho: sempre estar aprendendo mais. Diferente dos meus irmãos, não costumava desenhar na infância. Eu estava ocupada demais vendo Bozo (isso que é denunciar a idade!), brincando com minhas Barbies ou tossindo em meio as minhas crises de bronquite. Eu gostava mais de escrever histórias (como a do menino que fugiu de Marselha em um navio cargueiro ou da família do arqueólogo que se perdia no Egito... eu curtia um atlas geográfico, não?), e como ser a "desenhista da família" era o papel da minha irmã, eu me ocupava com outras coisas.

Só quando eu vi ao animê Cavaleiros do Zodíaco, na saudosa Rede Manchete, que decidi começar a desenhar com vontade sincera. Foi amor à primeira vista. Bem verdade que o Shiryu foi um dos grandes culpados por tanta devoção! Foi impossível resistir aquela cabeleira preta, como a asa da graúna (não seria difícil prever que eu me tornaria uma obcecada por bishounens)...
Passei a me dedicar ao desenho e ao mangá como estilo. Passava horas sentada ouvindo trilhas de animês e desenhando meus personagens. Ainda conhecia muito pouco sobre o gigante universo dos quadrinhos japoneses, ainda não tinha internet em casa e só podia contar com revistinhas informativas. Hoje, olhando essas mesmas revistas velhas, me espanto com tanta ingenuidade. As matérias eram pobres em conteúdo e revistas como a Animax, comandadas por Peixoto e Zé Roberto, eram ricas em imagens hentai e textos grosseiros. Mas era a única coisa que tínhamos na época.

Desenhar tinha se tornado mais que um hobby, era algo que me fazia sentir especial, viva! Agora eu tinha um propósito, uma meta, um sonho. Parece uma coisa tão simples e corriqueira, mas fez toda a diferença na minha vida.

Minha irmã e eu resolvemos fazer um zine, o Beeswax. Minha história se chamava "Hot Witchcraft" e contava as desventuras do demônio Beiron em busca de seus poderes perdidos. A história foi muito bem recebida e até hoje me reconhecem por ela. Foi um período lindo e que gerou frutos nos anos seguintes: 3 edições do zine Mr. Jinx, uma história na revista Tsunami e uma edição da Talentos do Mangá. Após meu último zine, o Mr. Jinx 3, deixei a vida de fanzineira, pelo menos por enquanto, por falta de dinheiro. Deixei meus fãs órfãos de Beiron, Mateus & Cia, mas realmente não tinha como continuar. O lado financeiro pesou e muito, mas acredito que o lado artístico também foi um fator determinante. Eu queria lágrimas e flores. Eu queria fazer shoujo!!

Como o shoujo entrou na minha vida, bem, com Sailor Moon, claro. Mas eu realmente me rendi após conhecer um mangá de nome Mars. Em meados de 97/98, os parentes de uma amiga de infância trouxeram para mim, direto do Japão, 3 revistas: Nakayoshi, Shonen Jump (pra minha irmã, pois eu sempre a incluía nesses lances) e Betsufure. A Betsufure foi um choque. A capa vermelha, com um desenho lindo do Mars me encantou e eu adorei os desenhos desse mangá. Anos depois, quando fiquei doente seriamente, retornando à casa dos meus pais, procurei sobre Mars na internet e não me lembro que desejar tanto alguma outra coisa, como eu desejei poder ler, ter e desenhar como o mangá de Fuyumi Soryo. Me senti em casa e me entreguei de vez ao shoujo mangá.

Hoje, tento melhorar a cada dia e vencer os obstáculos da profissão de desenhista. Você deve estar pensando: "Coitada, arte no Brasil é mesmo complicado". Realmente, mas eu me refiro à outras pedras no caminho...
A maior delas é a insegurança. Eu tive que lidar com ela desde sempre, desde os tempos de Cavaleiros do Zodíaco. Era muito difícil lidar com a minha irmã. A sua simples existência era um desafio. Ela sempre desenhou melhor do que eu. Não uma coisa tipo Akira Toriyama e Yoshihiro Togashi, mas uma coisa tipo Takeshi Obata e Masami Kurumada com dengue hemorrágica. Competir com isso era muito difícil pra mim. Meus irmãos me apoiavam, mas isso não significaria nada se eu mesma não acreditasse em mim. E eu, mesmo me sentindo meio pra trás, não conseguia desistir. Um caso que ilustra bem essa história, foi quando, ainda no começo da febre, minha irmã e eu íamos nos encontros da nunca-existente-mas-inesquecível Abrademi-Rio, um reduto de fãs cariocas e desenhistas iniciantes. No meio desse pessoal, se destacava um grupinho de desenhistas, com direito a fanzine #0. A líder chegou a convidar minha irmã para integrar o time, mas a mim não. Elas não tinham como saber, mas eu era alucinada para fazer parte de um grupo de desenhistas! Eu era meio Van Gogh, sei lá, queria companhia, poder trocar idéias e ter amigos tão fãs de mangá quanto eu (eu ainda acalento esse sonho, mas acredito que parcerias são possíveis, mas um grupo, não). Resumo da ópera: fiquei muito triste. Ninguém tinha obrigação de me convidar também, até porque o meu desenho na época era mesmo podre, mas ainda assim eu fiquei magoada. Mas até episódios como esse não foram capazes de derrubar minha vontade. Passei por muitos altos e baixos depois dessa história. Aprendi muito e doei meu tempo, meu espírito e meu sangue pra minha arte. Cheguei em um ponto onde decidi que desenharia bem e treinei com afinco. Dei mais do que o melhor de mim, dei tudo de mim. Mas sei que posso me doar mais. A gente sempre pode se doar um pouco mais.

Ser você mesmo, na minha concepção é antes de mais nada, ser sincero com seus sentimentos. Eu queria desenhar, eu queria fazer mangá e seria necessário uma força bíblica para me impedir. Eu amava o que fazia, eu amava o processo por completo e mesmo quando a insegurança insistia em bater na porta (seja por comentários depreciativos, por paranóias pessoais ou por indiferença de algumas pessoas próximas) ela dava de cara com a minha amiga determinação e dava meia volta. Maior do qualquer coisa é a minha vontade de desenhar. Um longo caminho ainda me espera nessa queda de braço. Conquistar um espaço e respeito ainda é uma luta pra mim. Meu jeito tímido e minha confiança frágil ainda me rendem muita dor de cabeça. É sempre mais fácil acreditar que as pessoas não gostam de mim e nem do meu desenho, do que tentar entender que não é necessário agradar a todos para ter sucesso. Lições que são sempre aprendidas com tentaiva e erro, tentativa e acerto, tentativa e recomeço. Como a vida costuma ser para aqueles que tentam vivê-la, certo?

Dedicação e esforço faz um artista, seja ele músico, pintor, ator ou o que for. Sei que minha vida, se seguir o rumo que desejo para ela, será de eterna dedicação e esforço. Sempre desenhando e me aperfeiçoando. Talvez, pra quem vê de fora, é estranho alguém dedicar tanto do seu tempo em uma mesa de desenho, tentando dominar uma caneta nanquim ou pesquisando novas narrativas e referências, mas acredito que quem tem um sonho ou uma meta, deve compreender. Desenhar pra mim deixou de ser um hobby, quando eu percebi que não conseguiria ser eu mesma em nenhuma outra coisa no mundo, do que sou diante de uma folha em branco. Nesse momento eu sou Tabby Kink, eu sou Roberta, eu sou livre.

8 comentários:

Leandro disse...

Que isso Tabby, seus desenhos ahazam. Pára de graça! É só entrarem no seu deviant pra verem seu traço.
Aiai desenhar realmente é muito bom, pena que (pelo menos pra mim) tá difícil ultimamente por causa da facul (isso fora a Amanda).

É muito interessante quando vemos nossos desenhos antigos... na época a gente via e falava "uau, eu ahazo." Mas quando ficamos velhos e vemos novamente dizemos "gente, que bosta! Como é que o povo elogiava isso? Tavam me enganando" kkkk

Enfim, continua na luta, tudo tem seu tempo... em breve tabby no red carpet *\(^_^)/*

Marcooo disse...

Gentee! :P
Que tudoo esse seu texto! :)

Olha...hum.....Olha..Aiii
quero escrever algo...(estou pensando)

Ahh! Eu sei exatamente como é esse sentimento que passou por vc! Acho que todos nós passamos por isso. Não essa disputa em casa, ou esse sentimento de uma pessoa ser melhor que você...mas sim a falta de confiança que temos em nós mesmos durante um período da nossa vida. Isso é fato.

Meu desenho mudou muuuito também...rsss. Eu tb já estive em grupinhos assim, que chamavam os outros e não a mim. ( Mas eu tb estava muito verde) *Não que hj esteja maduro rsrs*

Sabe uma realidade? (minha realidade) Eu parei de qrer colocar meu desenho na prateleira como se fosse um comércio. De qrer que os outros gostassem deles...
Eu simplesmente comecei a desenhar pra mim mesmo. Da forma como eu gostava! ^_^

Ahhh moçaaa! Desde quando eu vi o sei zine e seu desenho no animecon de muuuitos anos atrás eu fiquei apaixonado pelo seu traço e sua história. Tem fanzines que forçam uma comédia, mas o seuuu eu realmente riaaa na históriaaa!Eu ficava me perguntando em que que vc pensava pra conseguir inventar aquelas coisas! Iuahuiahiua

Tenho seu desenho no meu caderno até HJ! No meu quartooo! ^_^

Acompanhar esse seu crescimento como artista é tão gostoso. Cada pinturaaa, traço e tudo mais.

Mais gostoso ainda é receber seus recados e seu cartão de natal ( lindo e maravilhoso por sinal)!!!

Eu simplesmente ADOROOO ver os homens que vc desenhaaa! Essas coisas lindass e maravilhoras! Esses bishonens fantásticos...

As mulheres q vc desenha tb são lindas.

Bom, vim pagar pau um pouquinho pq vc merece.

Ah, e muito bem escrito o seu texto.

-Desenhista!
-Tímida!
-Inteligente!

:P

Bjus me liga!
Hihiih

:**

Marcooo disse...

Gentee! :P
Que tudoo esse seu texto! :)

Olha...hum.....Olha..Aiii
quero escrever algo...(estou pensando)

Ahh! Eu sei exatamente como é esse sentimento que passou por vc! Acho que todos nós passamos por isso. Não essa disputa em casa, ou esse sentimento de uma pessoa ser melhor que você...mas sim a falta de confiança que temos em nós mesmos durante um período da nossa vida. Isso é fato.

Meu desenho mudou muuuito também...rsss. Eu tb já estive em grupinhos assim, que chamavam os outros e não a mim. ( Mas eu tb estava muito verde) *Não que hj esteja maduro rsrs*

Sabe uma realidade? (minha realidade) Eu parei de qrer colocar meu desenho na prateleira como se fosse um comércio. De qrer que os outros gostassem deles...
Eu simplesmente comecei a desenhar pra mim mesmo. Da forma como eu gostava! ^_^

Ahhh moçaaa! Desde quando eu vi o sei zine e seu desenho no animecon de muuuitos anos atrás eu fiquei apaixonado pelo seu traço e sua história. Tem fanzines que forçam uma comédia, mas o seuuu eu realmente riaaa na históriaaa!Eu ficava me perguntando em que que vc pensava pra conseguir inventar aquelas coisas! Iuahuiahiua

Tenho seu desenho no meu caderno até HJ! No meu quartooo! ^_^

Acompanhar esse seu crescimento como artista é tão gostoso. Cada pinturaaa, traço e tudo mais.

Mais gostoso ainda é receber seus recados e seu cartão de natal ( lindo e maravilhoso por sinal)!!!

Eu simplesmente ADOROOO ver os homens que vc desenhaaa! Essas coisas lindass e maravilhoras! Esses bishonens fantásticos...

As mulheres q vc desenha tb são lindas.

Bom, vim pagar pau um pouquinho pq vc merece.

Ah, e muito bem escrito o seu texto.

-Desenhista!
-Tímida!
-Inteligente!

:P

Bjus me liga!
Hihiih

:**

Alexandre disse...

Eu entendo o que você sente muito, mas muito mais do que você pensa. Apesar de eu definitivamente não ser da ala shoujo da força.

Roberta Pares Massensini disse...

Oi, esse seu blogger é sempre tão turrão comigo....outro dia escrevi uma penca de palavras e na hora de publicar, foi-se.........bom,mas passei para uma nova tentativaXD Ah, eu te indequei para o Vitor, mas nem pedi sua permissão, me desculpeXD è que talento assim pro shoujo é muito raro^^ Na verdade, talento para desenhar como o seu^^ Lendo seu texto eu percebi muito de mim também, rerere, não só o fato de sermos Robertas, rerere, mas tanto em relação à insegurança quanto à timidez. Bem, nem sei se lerá isso rererere....mas para mim ainda é dificil observar o trabalho de tanta gente que admiro, e trabalhos de muitos anos atrás, qdo ainda eram "crianças" por assim dizer, com seus 14 a 16 anos, e mesmo hoje, passado tanto tempo eu ser terrivelmente inferior. E velhaXD Eu também assistia o Bozo ora bolas, e Fantomas, e Jet Mars (olha lá a poeira!)e muita coisa mais antiga\XD. Também só tinha a tv de base...mas eu não desenhava frequentemente...desenhava para ter uma lembrança para mim das animações que eu adorava....obviamente ficavam toscosXD Tentar melhorar e ganhar impulso para a perspectiva de rabiscar de maneira menos disforme também veio na época de Cavaleiros. Enfim eu comprava essas mesmas revistas de informação, sacrificando o dinheiro do busãoXD mas pelo menos tinha figuras né? E foi crescendo uma vontade de melhorar, observando a vontade de tantos outros em melhorar. Ainda busco isso.....ainda busco aprender a desenhar........por hora, não posso me afirmar como tal......acho que não me empenho o suficiente...e nem tenho talento suficiente....mas perseverar também faz diferença, e a ajuda divina tambémXD E vez ou otra me acontecem milagres. Espero conseguir chegar ao patamar de merecer os milagres. Bom...mas eu sei que seu sucesso está aí, e eu vou adorar te ver brilhar^^ E não acho sua arte menor que a de sua irmã. Vocês são geniais! E cada qual com seu estilo^^ Lindos ! quem sabe um dia eu chegue lá!

Sakura disse...

AIMEUDEUS!!!
Eu finalmente achei vc!!!!

Desculpe me intrometer no seu blog...>.<

Eu ganhei de uma amiga uma revista antiga onde havia Hot Witchcraft!!!

Mas só o primeiro capitulo...T-T

eu queria taaaaanto saber o q acontece com o Beiron e a Judou!!!!

Mas não sei onde encontrar....já procurei, mas eh impossivel! >~<

Por favooor!! Poderia me dizer se tem mais para ler e onde eu posso achaar???

meu e-mail eh sakura_kitsune.lua@hotmail.com

OMG!!! Parabens!! Seu trabalho é lindo e seu blog maravihoso!!!

Sakura~

Rafi disse...

Seu texto acabou mostrando para as pessoas que não te conhecem a mocinha incrível que vc é. Graças aos Céus eu tive o privilégio de nascer sua irmã e sou desde sempre fã #1! Vc não apenas tem o talento natural para o desenho, como a vocação para o mesmo. Essa sua paixão é muito bonita e inspiradora. Espero que vc continue firme na luta e deixe de lado toda e qualquer insegurança besta que só atrapalha. ^___^

Soraia de J. Santos Cury disse...

Olá Tabby!

Adorei seu texto de apresentação. Gosto mto do seu estilo de redação e fiquei mto curiosa para conhecer o seu desenho tão elogiado nos comentários!

Insegurança na medida certa é mto saudável, de uma certa forma nos torna mais críticos e isto nos faz evoluir dentro de nosso próprio projeto.

Não tenho dúvidas de que ainda vamos ouvir falar muito sobre vc e sua obra.

Aos poucos vou lendo os outros posts mas vou te contar: já me apaixonei!

Bjos e mto sucesso!